Disfunção Erétil (DE) ou Impotência Sexual é uma condição  que afeta homens de todas as idades, sendo definida como a incapacidade persistente em obter e manter uma ereção suficiente, que permita uma atividade sexual satisfatória, causando um grande impacto em qualidade de vida e do casal. Resumindo, a DE é a incapacidade de obter e manter a rigidez peniana suficiente para promover o ato sexual.

A disfunção erétil é mais comum entre homens entre 60 e 70 anos, porém ela também acomete homens mais jovens. Acredita-se que cerca de 20% dos homens acima dos 40 anos apresentem sintomas relacionados a disfunção erétil, com sua incidência aumentando com o decorrer da idade.

jovem

Antigamente, acreditava-se que a dificuldade para se obter a ereção só ocorria a partir de uma certa idade, mas sabe-se que isso não é verdade. Tanto isso ocorre, que cerca de 2% dos homens aos 40 anos já apresentam queixas relacionadas a impotência sexual. Esse número deve ser maior, isso porque muitos jovens não gostam de se manifestar a respeito do assunto, e tem dificuldades de enfrentar o problema, não relatando o seu problema ao médico.

Quando atendo um homem jovem (20-40 anos) com queixas de DE, normalmente, o classifico dentro de um de dois grandes grupos: DE de causa Orgânica ou DE de causa Psicogênica.

A avaliação inicial começa com uma história e exame físico detalhados que podem ser complementados com uso de questionários validados para estratificação do grau de DE. Na história buscamos dados que possam associar os sintomas de impotência à doenças pré existentes que poderiam piorar o desempenho sexual como por exemplo o Diabetes Mellitus, disfunções hormonais como o Hipotireoidismo, além do uso e abuso de substâncias deletérias para a função sexual como cigarro, álcool e drogas.

As DEs da causa orgânica são as normalmente associadas a doenças que alteram a circulação sanguínea dificultando a chegada de sangue ao pênis para promover a ereção. Normalmente, nesses grupos estão presentes homens mais velhos (acima dos 50 anos), pois sofreram maior tempo os danos que as doenças podem ocasionar. Dentre as principais doenças que levam a destruição dos vasos sanguíneos temos: Diabetes Mellitus, Hipertensão Arterial Sistêmica, Alterações no Colesterol, Doenças Cardiovasculares (Infarto Agudo do Miocárdio e Acidente Vascular Cerebral).

Quando falamos em DE em pacientes jovens, a primeira hipótese que vem a mente é uma causa psicogênica. Importante, ressaltar que não devemos descartar por completo a associação de qualquer outra disfunção orgânica e que a investigação de doenças como Diabetes Mellitus e alterações de colesterol devem ser consideradas, visto que sua incidência entre homens jovens tem aumentado.

A DE de origem psicogênica, normalmente, origina-se repentinamente e normalmente vem associada a um evento marcante como, por exemplo, perda do emprego, dificuldade de relacionamento com a parceira ou uma experiência sexual desagradável. Todos esses fatores levam a um aumento da ansiedade e do stress o que prejudica o relaxamento e  concentração do homem durante o ato sexual.

O stress e a ansiedade levam ao aumento dos níveis de cortisol e adrenalina no sangue deixando o homem em um estado semelhante ao de “lutar ou correr”. Esse estado, impede o relaxamento da musculatura peniana impossibilitando o processo de ereção.

Algo que induz pensarmos em DE psicogênica é o fato do paciente apresentar dificuldade para obter ereção com uma parceira específica e não com outra, ou também o fato de conseguir manter a ereção durante a masturbação.

O tratamento da DE em homens jovens não é muito diferente do que é oferecido para homens mais velhos. A diferença se dá na forma como o problema é abordado. Primeiramente é necessário descobrirmos as causas do problema.     Se a causa for orgânica, o principal objetivo é controlarmos a doença e consequentemente melhoraremos as suas consequências, que no caso é a impotência sexual. Na tentativa de otimizarmos a melhora dos sintomas de impotência sexual podemos utilizar de artifícios farmacológicos como Inibidores da Fosfodiesterase tipo 5(Viagra®, Cialis®, Levitra®), medicamentos injetáveis no pênis, dispositivos mecânicos como bombas à vácuo e até mesmo as próteses penianas.

Se a causa for psicogênica o uso da psicoterapia é o mais indicado e com os melhores resultados de satisfação dos pacientes. No início do tratamento, o emprego de medicamentos que auxiliam na ereção pode ser benéfico porém deve ser desestimulado com o decorrer da psicoterapia para evitar sua dependência psicológica.

Portanto, homens jovens com queixas de DE devem procurar um médico especialista (Urologista) antes de tomar qualquer outro tipo de atitude, pois um tratamento inadequado pode ter um efeito prejudicial que pode vir a ser irreversível.

 

Se você é jovem e acredita apresentar Disfunção Erétil procure ajuda especializada capaz de lhe oferecer tratamento individualizado para o seu problema.

Deixe um comentário