Não é incomum, eu prescrever o uso de medicamentos facilitadores de ereção, como o Viagra® e o Cialis®, para pacientes com queixas de disfunção erétil (DE) e, os mesmos, quando comparecem no retorno da consulta referirem não ter feito uso da medicação ou porque tiveram medo ou porque ouviram algum conhecido lhes dizer que um colega faleceu após o uso dessas drogas.

Esse tipo de conceito decorrente, na maioria das vezes, de uma falta de explicação médica ao paciente, está errado. Toda vez que um medicamento é prescrito ao paciente, este deve ser informado sobre os efeitos colaterais da droga e dos possíveis riscos e benefícios envolvidos no seu consumo.

Os medicamentos facilitadores de ereção, também conhecidos como Inibidores da Enzima Fosfodiesterase tipo 5 (5PDEi), são medicamentos que estão no mercado farmacêutico desde a década de 90 e têm se mostrado um ótimo método terapêutico para pacientes com queixas de DE de origem não psicogênica. Digo isso, pois além de auxiliarem na promoção de uma ereção satisfatória, eles são extremamente seguros.

Frases como “se eu tomar eu terei um infarto” ou “se eu tomar eu terei um derrame” são bastante faladas porém não refletem a veracidade do que realmente ocorre.

Os 5PDEi, são medicamentos que agem no mecanismo de ereção a partir do aumento do Monofosfato Cíclico de Guanosina (GMPc) devido a uma inibição da enzima Fosfodiesterase tipo 5 que transforma o GMPc em 5 GMP. O aumento da concentração do GMPc tem como um dos seus efeitos o relaxamento da musculatura do corpo cavernoso peniano, o que facilita o seu enchimento com sangue, proporcionando a ereção.

Os níveis elevados de GMPc, também promovem o relaxamento de outras estruturas como vasos periféricos e podem trazer sintomas como a cefaléia (dor de cabeça), hiperemia facial (rosto vermelho), congestão nasal e dor abdominal.

Diversos estudos clínicos mostraram a segurança do uso dos 5PDEi no que diz respeito ao risco dos pacientes apresentarem algum evento cardiovascular como, por exemplo, um infarto agudo do miocárdio (IAM). Nenhum deles mostrou um maior risco de IAM em pacientes que fazem uso crônico dessas medicações e também mostrou a segurança do seu uso em paciente já com histórico de IAM prévio e que estão com doença bem controlada.

Ah, então quer dizer que qualquer pessoa pode fazer uso desses medicamentos? A resposta é NÃO!

Existem pacientes que estão proibidos de fazer uso dos 5PDEi, esses pacientes são aqueles que fazem uso de medicamentos compostos por Nitratos (ex: Monocordil®, Isordil®, Sustrate®, entre outros). Isso se deve ao fato, dos 5PDEi potencializarem os efeitos dos nitratos o que pode promover uma hipotensão arterial severa (“baixa de pressão”) e assim propiciar um novo evento cardiovascular (IAM ou AVC).

Portanto, por mais que os 5PDEi sejam medicamentos seguros, eles não devem ser consumidos sem prescrição médica e sem acompanhamento por médico especialista, como um urologista ou cardiologista.

Se você tem disfunção erétil e deseja fazer uso de medicamentos facilitadores de ereção, procure um urologista para avaliar a sua real necessidade e acompanhar os resultados do tratamento.

Deixe um comentário